Stop motion

Trip to the Moon

A técnica de animação stop-motion ou stop-action como também é conhecida, começou a ser utilizado por volta de 1896, com filmes ilusionistas, onde objetos e pessoas sumiam e apareceriam nas cenas. O francês George Melies foi um dos pioneiros na sua utilização e é considerado por muitos como um dos inventores dessa técnica.

A técnica consiste em filmar a cena quadro a quadro inserindo-se objetos ou alterando sua posição a cada fotograma. Com isso é possível fazer aparecer e desaparecer objetos em cena ou dar vida a objetos inanimados.

Pode-se animar qualquer coisa, desde miniaturas, bonecos articulados, recortes, massa de modelar (claymation), areia e até pessoas e objetos reais (pixelation).

 

JStuartBlackton

Em 1906 o inglês J. Stuart Blackton, produziu um filme chamado Humorous Phases of Funny Faces, os desenhos eram feitos com giz em um quadro negro, fotografados e depois modificados e fotografados novamente e assim por diante na forma mais básica de animação em stop-motion. Em 1907 ele produziu o filme The Humpty Dumpty Circus, que é aclamado como o primeiro filme de animação de stop-motion de bonecos articulados.

A animação de bonecos se espalhou pela Europa oriental onde já existia a tradição do teatro de bonecos, surgindo muitos nomes, como o polonês/lituano Ladislaw Starewicz, que fez Lucanus Servus (1910), um filme sobre a luta de dois besouros, feito com insetos empalhados, que fez grande sucesso.

Em 1912 seu filme mais conhecido foi Cameraman´s Revenge.

MATERIAIS E APLICAÇÕES

Durante anos muitos tipos de materiais foram usados na confecção de bonecos, madeira, metal, borracha, tecido, couro, papel e plástico. Entre os materiais utilizados, um que ganhou grande destaque entre os animadores foi a plastilina, um tipo de argila que não seca com o tempo, criada por volta de 1890. Ela oferece grande maleabilidade e versatilidade.

Um dos pioneiros no uso da plastilina foi o americano nativo de São Francisco Willis O´Brien. Ainda adolescente, ele fez seu primeiro filme com 1 minuto de duração sobre um homem das cavernas, animando um homem pré-histórico e um dinossauro, modelados na plastilina com esqueleto de madeira.

Em seguida produziu um curta de 5 minutos chamado The Dinossaur and The Missing Link (1915), já fazendo uso de um esqueleto de metal coberto com uma camada de látex. Durante os anos foi aperfeiçoando sua técnica através de seus filmes, Curious Pets of our Ancestors e The Birth of a Flivver, ambos em 1917, e em 1919 The Ghost of Slumber Moutain.

Willis_OBrien

O grande sucesso dos filmes de Willis O´Brien despertou no público dos anos 20 um grande interesse por dinossauros inspirando outros animadores da época. Willis O´Brien ainda criou efeitos especiais para Merian C. Cooper, no filme King Kong (1933), que se tornou um clássico do cinema, levando as telas uma das mais incríveis estórias de fantasia, com seqüências estonteantes onde atores contracenam com bonecos animados em stop-motion. King Kong se tornou um marco na história dos efeitos especiais.

king-kong-1933

O trabalho de O´Brien tem sido inspiração até os dias de hoje para muitos animadores e criadores de efeitos especiais. Sua maior influência foi em seu pupilo, o também americano Ray Harryhausen, o qual a técnica de animação superou a de seu mestre. Em 1963 Harryhausen fez Jason e os Argonautas com uma famosa cena de batalha de espadas entre sete esqueletos em stop-motion contra os Argonautas em live-action, que é estudada até hoje por cineastas e animadores. Seu último filme foi Fúria de Titãs (1981).